Rua Augusta, 2075: um cinema para um público de classe

Por Antonio Ricardo Soriano

Rua Augusta, 2075 - 20/11/1969: o cine Orly é aberto ao público, com a exibição do filme francês "Eu te amo, eu te amo/Jet'aime, jet'aime" (1968), de Alain Resnais. Era dotado do sistema de projeção "SUPERAMA" (concorrente do CinemaScope).

No anúncio de inauguração, a frase "um cinema para um público de classe" já mostrava que a sala teria uma programação diferenciada (uma característica existente até hoje).


Rua Augusta, 2075 - 01/05/1975: o CINEMA I é aberto ao público, com a exibição do grande clássico "Cantando na Chuva/Singin' in the Rain" (1952), de Stanley Donen e Gene Kelly.















Rua Augusta, 2075 - 21/09/1979 (20 horas): em noite solene, o CineSesc é inaugurado, com a presença do então Ministro do Trabalho, Murillo Macedo (in memoriam), do então Presidente do Conselho Regional do SESC São Paulo, José Papa Júnior (hoje, Presidente Emérito da Federação do Comércio do Estado de São Paulo) e do então Assessor da Coordenadoria de Operações do SESC, Lucydio Cerávolo Filho (in memoriam - foi, também, tesoureiro da comissão organizadora do I Festival Internacional de Cinema do Brasil, em 1954 e um dos sócios do antigo cine Marrocos).

Os primeiros filmes exibidos, em sessões normais, foram: "Vidas Secas" (1963), de Nelson Pereira dos Santos (14 h.), "Os Fuzis" (1964), de Ruy Guerra (16 h.) e João Juca Júnior (J. J. J., O Amigo do Super-Homem - 1978), de Denoy de Oliveira (20 e 22 h.).


Além das sessões normais, o CineSesc, com 448 lugares, tinha muitas sessões especiais:
A Escola Vai ao Cinema - sessão exibida de segunda à sexta-feira, pela manhã, com filmes selecionados para alunos do ensino fundamental e ensino médio;
Jovem - sessão exibida todos os dias, às 18 horas, com filmes dirigidos ao público jovem;
Lançamento - sessão que exibia um filme em "avant-première", aos sábados, às 24 horas;
Revisão - sessão que exibia um filme em reprise, todas as sextas-feiras, às 24 horas;
Zig-Zag - sessão dirigida ao público infantil e exibida aos sábados e domingos, no período da manhã (permanece até hoje, gratuitamente aos domingos, às 11 horas, com o nome de Cineclubinho).
E, em todas as segundas-feiras, um filme inédito era lançado para as sessões normais.

O CineSesc, em sua primeira semana de funcionamento, realizou shows com os cantores Jorge Ben (Jor) e Paulinho da Viola.

Realizou, também, logo após sua inauguração, de 1º a 7 de Outubro de 1979, o 1º Festival do Cinema Brasileiro de São Paulo.



























Licença Creative Commons
As fotos e informações deste site estão protegidas e licenciadas pela Creative Commons.
ACESSE O BANCO DE DADOS


BIBLIOGRAFIA DO BLOG

PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

1. Arquivos institucionais e privados

Bibliotecas da Cinemateca Brasileira, FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Mackenzie.

2. Principais publicações

Acervo digital dos jornais Correio de São Paulo, Correio Paulistano, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Acervo digital dos periódicos A Cigarra, Cine-Reporter e Cinearte.

Site Arquivo Histórico de São Paulo - Inventário dos Espaços de Sociabilidade Cinematográfica na Cidade de São Paulo: 1895-1929, de José Inácio de Melo Souza.

Periódico Acrópole (1938 a 1971)

Livro Salões, Circos e Cinemas de São Paulo, de Vicente de Paula Araújo - Ed. Perspectiva - 1981

Livro Salas de Cinema em São Paulo, de Inimá Simões - PW/Secretaria Municipal de Cultura/Secretaria de Estado da Cultura - 1990

FONTES DE IMAGEM

Periódico Acrópole - Fotógrafos: José Moscardi, Leon Liberman, P. C. Scheier e Zanella.

Acervos particulares de Luiz Carlos Pereira da Silva, Caio Quintino e Ivani Cury.

PRINCIPAIS COLABORADORES

Luiz Carlos Pereira da Silva e João Luiz Vieira.

OUTRAS FONTES: INDICADAS NAS POSTAGENS.