Theatro Avenida: um ótimo exemplo de preservação em Espírito Santo do Pinhal


Espírito Santo do Pinhal, 29 de dezembro de 1927. Eis que o grande Cine Theatro Avenida é inaugurado, obra de três famílias pinhalenses: os Bartholomei, os Galeano e os Martins. Nesta época era o ponto de encontro preferido da sociedade; filmes, teatros, conferências e até mesmo festas de formatura aconteceram no Theatro Avenida. Chegado os anos 60 todo o glamour do Theatro foi se esvaindo. Os eventos se tornaram esporádicos e seu último grande espetáculo ocorreu em 76, com a peça “Bonifácio Bilhões”.

Em 82, na tentativa de proteger o Theatro, a Associação Pinhalense de Cultura (APC) convenceu os proprietários a vendê-lo à Prefeitura Municipal, tornando-o assim, patrimônio histórico, cultural e artístico de Pinhal e mais tarde tombado pelo Condephaat. No ano de 1986 foi feita a licitação para projetos de restauro, mas as dificuldades financeiras impediam o progresso.


Em meio aos empecilhos, um grupo de cidadãos pinhalenses, cansados de ver o Theatro “jogado às traças”, fundou a Associação dos Amigos do Theatro Avenida (AATA) que tomou a frente da reforma. Os integrantes da associação contribuíam mensalmente para as obras, assim como outros voluntários, moradores da cidade ou não, bancos e o poder público, nas esferas, Federal, Estadual e Municipal. No dia 27 de dezembro de 2001, aniversário da cidade, houve uma solenidade no local, sendo lançada a campanha, “Sou amigo do Theatro Avenida”, representada por adesivos para veículos utilizados por aqueles que quisessem contribuir com a causa.


O Theatro Avenida foi reinaugurado em 11 de dezembro de 2009, e hoje é palco de várias atividades culturais, inclusive com apoio do Governo do Estado de São Paulo através de espetáculos mensais gratuitos; recuperando assim toda a sua imponência, antes encoberta pela poeira do abandono.


Para mais informações:

http://www.youtube.com/watch?v=IaPwm6wR2wA
http://www.pinhal.sp.gov.br/novo/teatro
http://www.pinhal.sp.gov.br/site_antigo/final.2010.theatro_avenida.php
http://acidade.inf.br/constantes/anteriores/859/cardeais.htm










































Agradeço a colaboração de Luiz Carlos P. da Silva e Nair B. P. da Silva.
Texto: Revista Comemorativa dos 150 anos de Espírito Santo do Pinhal (1849-1999). Publicação da Prefeitura Municipal, 1999
Licença Creative Commons
As fotos e informações deste site estão protegidas e licenciadas pela Creative Commons.
ACESSE O BANCO DE DADOS


BIBLIOGRAFIA DO BLOG

PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

1. Arquivos institucionais e privados

Bibliotecas da Cinemateca Brasileira, FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Mackenzie.

2. Principais publicações

Acervo digital dos jornais Correio de São Paulo, Correio Paulistano, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Acervo digital dos periódicos A Cigarra, Cine-Reporter e Cinearte.

Site Arquivo Histórico de São Paulo - Inventário dos Espaços de Sociabilidade Cinematográfica na Cidade de São Paulo: 1895-1929, de José Inácio de Melo Souza.

Periódico Acrópole (1938 a 1971)

Livro Salões, Circos e Cinemas de São Paulo, de Vicente de Paula Araújo - Ed. Perspectiva - 1981

Livro Salas de Cinema em São Paulo, de Inimá Simões - PW/Secretaria Municipal de Cultura/Secretaria de Estado da Cultura - 1990

FONTES DE IMAGEM

Periódico Acrópole - Fotógrafos: José Moscardi, Leon Liberman, P. C. Scheier e Zanella.

Acervos particulares de Luiz Carlos Pereira da Silva, Caio Quintino e Ivani Cury.

PRINCIPAIS COLABORADORES

Luiz Carlos Pereira da Silva e João Luiz Vieira.

OUTRAS FONTES: INDICADAS NAS POSTAGENS.