Rino Levi: o arquiteto dos cinemas gigantes

Rino Levi nasceu em 1901, em São Paulo. Faleceu em 1965. Estudou em Milão e roma, onde se formou em 1926 na Real Escola Superior de Arquitetura de Roma.












Rino Levi teve uma destacada importância na implantação do movimento moderno no Brasil, seja pela repercussão de seus projetos, seja pela sua ativa participação no ensino e na valorização do trabalho profissional.

Ao iniciar sua carreira, Rino Levi chega a uma São Paulo ainda provinciana, com pouco mais de um milhão de habitantes. Nessa época, apenas se iniciava o processo de industrialização que a transformaria na capital econômica do país. Seus primeiros projetos revelam influências diversas como o racionalismo italiano, o art deco e a obra de Erich Mendelsohn.

Na década de 30, Rino Levi recebe uma complexa incumbência: projetar um novo e grande cinema para São Paulo. Inaugurado em 1936, o UFA Palacio, com mais de 3000 lugares, foi profundamente inovador: sem frisas e camarotes, todos os espectadores são igualados numa grande plateia e balcão com perfeitas condições de visibilidade e acústica.




A obra obtém um enorme sucesso de crítica e público, que garante ao arquiteto a encomenda sucessiva de novos cinemas: o cine Universo (4324 lugares), o Piratininga (4313 lugares) e finalmente, o cine Ipiranga com 1936 lugares. Infelizmente, a capacidade de lugares dos cinemas citados variam um pouco nas pesquisas que fiz.

Fachada do cine Ipiranga., ainda com placa de Rino Levi.





















O arquiteto ocupou-se pessoalmente da acústica da grande sala de projeção do cine Ipiranga, que resultou perfeita, com seus dois balcões de formas curvas, puros, austeros e elegantes.

Balcões (plateias superiores) do cine Ipiranga













Terminada a Segunda Guerra, o país entra numa fase de intensa industrialização e rápida urbanização. Para o arquiteto, são anos de grande produção. A partir de 1945, realiza vários projetos para a construção de grandes hospitais, como Hospital Maternidade da Universidade de São Paulo, Hospital Central do Câncer e Hospital Geral Albert Einstein.


Planta do cine Universo




































Em 1965, a equipe Rino Levi vence o concurso para o Centro Cívico de Santo André, uma obra complexa, organizada por meio de uma esplanada para pedestres. Os jardins e as obras de arte que completam esse conjunto são de Roberto Burle Marx.



Após a morte de seu fundador, o escritório assume a denominação de Rino Levi Arquitetos Associados e decide prosseguir o trabalho dentro das diretrizes estabelecidas.

Fontes de pesquisa:
Livro "Arquitetura Italiana em São Paulo", de Bruno Giovannetti - Consulado Geral da Itália - São Paulo - 1994. Agradeço a colaboração de Luiz Carlos P. da Silva e Nair B. P. da Silva.
Licença Creative Commons
As fotos e informações deste site estão protegidas e licenciadas pela Creative Commons.
ACESSE O BANCO DE DADOS


BIBLIOGRAFIA DO BLOG

PRINCIPAIS FONTES DE PESQUISA

1. Arquivos institucionais e privados

Bibliotecas da Cinemateca Brasileira, FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Mackenzie.

2. Principais publicações

Acervo digital dos jornais Correio de São Paulo, Correio Paulistano, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo.

Acervo digital dos periódicos A Cigarra, Cine-Reporter e Cinearte.

Site Arquivo Histórico de São Paulo - Inventário dos Espaços de Sociabilidade Cinematográfica na Cidade de São Paulo: 1895-1929, de José Inácio de Melo Souza.

Periódico Acrópole (1938 a 1971)

Livro Salões, Circos e Cinemas de São Paulo, de Vicente de Paula Araújo - Ed. Perspectiva - 1981

Livro Salas de Cinema em São Paulo, de Inimá Simões - PW/Secretaria Municipal de Cultura/Secretaria de Estado da Cultura - 1990

FONTES DE IMAGEM

Periódico Acrópole - Fotógrafos: José Moscardi, Leon Liberman, P. C. Scheier e Zanella.

Acervos particulares de Luiz Carlos Pereira da Silva, Caio Quintino e Ivani Cury.

PRINCIPAIS COLABORADORES

Luiz Carlos Pereira da Silva e João Luiz Vieira.

OUTRAS FONTES: INDICADAS NAS POSTAGENS.